Por Núbia Pacheco, G1 AP — Macapá

Prefeitura diz que regularizou o fornecimento de água e alimentação. G1 identificou lentidão no atendimento de alguns postos de vacinação.


Voluntários que auxiliam na aplicação de vacinas contra a Covid-19 em alguns postos de Macapá paralisaram as atividades nesta terça-feira (20). Eles alegam que a prefeitura deixou de fornecer itens básicos como água para beber, lanches e ainda Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

Em nota, a prefeitura informou que já regularizou o fornecimento de água e alimentação nos pontos de vacinação contra Covid-19 e que a falha no fornecimento desses insumos na segunda-feira (19) ocorreu de forma isolada (confira na íntegra no fim desta reportagem). No entanto, o grupo diz que esse problema é recorrente.

G1 visitou, pela manhã, 4 dos 9 postos em que os voluntários deveriam atender nesta terça-feira. O drive-thru do Sambódromo e o ponto da Universidade Federal do Amapá (Unifap) foram os que apresentaram mais lentidão e filas extensas em decorrência da falta dos voluntários.

Grupo fez manifestação nas redes sociais — Foto: Reprodução/Internet
Grupo fez manifestação nas redes sociais — Foto: Reprodução/Internet

Macapá conta com aproximadamente 300 voluntários e, segundo alguns deles, que pediram para não serem identificados, cerca de 90% aderiu à paralisação. O grupo afirmou que, até 12h, a situação não foi solucionada.

O grupo fez uma manifestação virtual na segunda-feira (19). Os voluntários foram procurados pelo prefeito Dr. Furlan (Cidadania).

“Depois da movimentação, o prefeito entrou em contato através do Instagram dos voluntários e pediu para entrar em contato com a assessoria dele porque ele iria viajar, mas até o momento não foi resolvido nada e a gente paralisou hoje”, disse uma das voluntárias.

O Drive-thru da praça Floriano Peixoto que tem o auxílio de militares do exército é um dos poucos que continua recebendo ajuda de voluntários — Foto: Núbia Pacheco/G1
O Drive-thru da praça Floriano Peixoto que tem o auxílio de militares do exército é um dos poucos que continua recebendo ajuda de voluntários — Foto: Núbia Pacheco/G1

Nos pontos em que houve os voluntários não compareceram, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) reforçou as equipes com profissionais de outras pastas do município e, por isso, a vacinação não chegou a ser suspensa.

Os voluntários auxiliam em todas as etapas do atendimento, desde a triagem até a aplicação das vacinas. O trabalho é monitorado por um enfermeiro responsável pela equipe em cada local.

No posto dentro da Unifap foi necessário chamar profissionais de outras pastas do município para reforçar a imunização — Foto: Núbia Pacheco/G1
No posto dentro da Unifap foi necessário chamar profissionais de outras pastas do município para reforçar a imunização — Foto: Núbia Pacheco/G1

O grupo é formado por estudantes de cursos da área da saúde, como medicina e enfermagem. Como voluntários, eles não recebem salários ou ajuda de custo. No entanto, é creditada a carga horária e experiência para completar o tempo exigido pelas universidades e faculdades junto à formação profissional.

Nenhum voluntário compareceu no drive-thru do Sambódromo, que seguiu com atendimento lento nesta terça-feira (20) — Foto: Núbia Pacheco/G1
Nenhum voluntário compareceu no drive-thru do Sambódromo, que seguiu com atendimento lento nesta terça-feira (20) — Foto: Núbia Pacheco/G1

Para continuar o trabalho de forma digna, eles cobram condições básicas como água para beber, lanche e EPIs.

“Já faz um bom tempo que a gente vem pedindo melhorias, principalmente em relação à assistência básica como água, lanche. Logo quando eu entrei, eles mandavam a água junto com as vacinas, mas depois a gente começou a receber perto de 12h e, quem trabalhava só de manhã saia de lá sem tomar água”, disse uma voluntária.

Ela disse ainda que a decisão pela paralização não foi algo planejado e que os colegas não estão se negando a continuar o trabalho, mas a medida tornou-se necessária.

Na quadra da igreja Jesus de Nazaré havia pouco movimento na manhã desta terça-feira (20) — Foto: Núbia Pacheco/G1
Na quadra da igreja Jesus de Nazaré havia pouco movimento na manhã desta terça-feira (20) — Foto: Núbia Pacheco/G1

Veja nota da prefeitura na íntegra:

A Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) informa que já regularizou o fornecimento de água e alimentação nos pontos de vacinação contra Covid-19. As equipes de vacinação foram reforçadas e os voluntários seguem nas ações diárias.

A falha no fornecimento desses insumos na segunda-feira (19) ocorreu de forma isolada. A Prefeitura de Macapá mantém um contrato para a compra e entrega de Equipamentos de Proteção Individual, água e alimentação para os trabalhadores que atuam na vacinação de Macapá.

A Semsa reitera seu compromisso com a promoção da saúde pública acessível e justa para os cidadãos de Macapá e os colaboradores da rede municipal.

Imagem principal: Unifap apresentou filas extensas na busca pelo imunizante — Foto: Núbia Pacheco/G1

Matéria Original: https://g1.globo.com/ap/amapa/noticia/2021/07/20/sem-agua-para-beber-voluntarios-decidem-parar-de-vacinar-contra-a-covid-19-em-macapa.ghtml