por Renato Manfrim, via O Estado de Minas

Para dar visibilidade à situação de vulnerabilidade que eles enfrentam nas ruas da cidade, uma audiência pública foi realizada nesta quinta-feira (19/8)


Dezenas de estrangeiros de outros de países sul-americanos, principalente venezuelanos, têm encontrado acolhida em Uberaba, no Triângulo Mineiro. Eles chegam na condição de imigrante ou refugiado, e sem condições financeiras e de trabalho, e são recebidos na cidade pelo Projeto Ágape, que funciona de forma voluntária, a partir de arrecadações pela internet. 

Por outro lado, outras dezenas de imigrantes continuam nas ruas da cidade, sem condições dignas de moradia e de trabalho. Muitos deles tentam sobreviver realizando números de malabarismo nos semáforos. “Precisamos debater a questão dos imigrantes. Uberaba recebe dezenas de imigrantes, de diferentes países, toda semana”, apontou a vereadora Rochelle Gutierrez (PP), que na última quinta-feira (19/8), solicitou uma audiência pública na Câmara Municipal com Herval Kobayashi, secretário adjunto de Desenvolvimento Social de Uberaba, a professora da UFTM Dra. Suraya Gomes Novais Shimano, o padre Fabiano Roberto, idealizador do Projeto Ágape e o venezuelano José Antonio Perez. O objetivo do encontro, segundo a vereadora, foi divulgar o Projeto Ágape, dar visibilidade a situação dos imigrantes em Uberaba e resolver a documentação e a vacinação contra a COVID-19 do grupo. O padre Fabiano revelou que, apesar da doações, o Projeto Ágape tem encontrado dificuldades com relação ao apoio para os imigrantes que estão em situação de vulnerabilidade na cidade.

“Precisamos buscar moradia, trabalho e alimentação aos imigrantes e refugiados, além de promover a integração, contribuir no aprendizado da língua portuguesa e facilitar a naturalização e regulamentação documental destes”, destacou.  Com relação à vacinação contra a COVID-19 dos imigrantes, Herval Kobayashi, explicou que o estrangeiro é autorizado a fazer a vacinação em território nacional, desde que haja uma autorização da Secretaria de Saúde.

“Ele precisa apresentar seu passaporte e cumprir requisitos específicos dispostos na pasta. As doses direcionadas a essas pessoas são extras, e não comprometem a distribuição para a população local”.  

O contato do Projeto Ágape, para quem quiser ajudar, é o WhatsApp (34) 99961-0129.

Imagem: Muitos imigrantes tentam sobreviver em Uberaba realizando números de malabarismo nos semáforos da cidade (foto: Creative Commons/Divulgação)

Fonte: https://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2021/08/20/interna_gerais,1297874/projeto-voluntario-ajuda-imigrantes-sul-americanos-em-uberaba.shtml